Análise de redação do Enem com comentários

Depois de rever conteúdos desenvolvidos nos artigos do nosso site Redação Nota 1000, todo aluno é capaz de analisar uma redação e perceber quais os seus defeitos e qualidades. Queremos, por isso, propor uma análise do tema de redação do Enem.

REDAÇÃO
Muito se tem discutido acerca da construção da identidade de uma nação, que se estabelece pelas diferentes heranças culturais e étnicas recebidas ao longo de sua formação. Dessa forma, é inegável a importância da presença de imigrantes pra este processo no Brasil, sejam eles europeus, africanos ou asiáticos; livres ou cativos. Ainda hoje, pode-se perceber um constante fluxo migratório para o país, por conta da estabilidade econômica e do crescimento vivenciados, o que denota a necessidade de análise e compreensão desse fenômeno. Assim, como visto acima, o Brasil vem assumindo posição de destaque no cenário internacional, sobretudo, como defensor dos países em desenvolvimento.
Entretanto, embora seja visto como um país multicultural e que aceita bem a entrada de pessoas, é inegável a presença da xenofobia e do protecionismo no Brasil. A intolerância é visível e não são raros os casos de discriminações ao estrangeiro. O que se deve à criação da ideia da necessidade do fluxo como unilateral, acreditando-se que só quem chega possui bons motivos para a sua permanência. Mas o não reconhecimento da bilateralidade dessa inserção, de como o país também tem a ganhar com a imigração, é uma forma simplista de negação da própria sintaxe da sociedade brasileira.
Por outro lado, é inegável os benefícios políticos que podem ser trazidos pela boa relação do Brasil com os imigrantes. A possibilidade de apresentar uma nova forma de lidar com os imigrantes traz uma diferenciação em relação às políticas de contenção de outros países. O desafio, muito maior que a construção de barreiras físicas, é a adoção, pelo governo brasileiro, de uma postura independente e conciliadora com os imigrantes que buscam o país para uma melhoria de vida. Dessa forma, pode-se conquistar uma afirmação no cenário internacional.
Conclui-se que é fundamental que haja uma postura receptiva e, principalmente, humanitária em relação aos imigrantes. O controle da entrada não deve ser algo feito por barreiras físicas ou violações aos direitos humanos, como ocorre em diversos países, mas por uma fiscalização regularizada. Essa deve existir de forma que vise não um leviano impedimento, mas uma correta inserção do imigrante, de forma que esse tenha os subsídios necessários, por meio de uma expansão e adequação de políticas públicas, para a promoção de crescimento pessoal e, consequentemente, nacional.
COMENTÁRIOS

Introdução

Muito se tem discutido acerca da construção da identidade de uma nação, que se estabelece pelas diferentes heranças culturais e étnicas recebidas ao longo de sua formação. Dessa forma, é inegável a importância da presença de imigrantes pra este processo no Brasil, sejam eles europeus, africanos ou asiáticos; livres ou cativos. Ainda hoje, pode-se perceber um constante fluxo migratório para o país, por conta da estabilidade econômica e do crescimento vivenciados, o que denota a necessidade de análise e compreensão desse fenômeno. Assim, como visto acima, o Brasil vem assumindo posição de destaque no cenário internacional, sobretudo, como defensor dos países em desenvolvimento.

Comentário: No primeiro parágrafo, o redator introduz o tema por meio de "muito se tem discutido", que além de ser uma expressão clichê, afasta o redator da temática, sendo inadequada para uma dissertação argumentativa. Nesse parágrafo, apresentam-se os desvios gramaticais: o emprego da forma contraída pra, sendo o mais adequado o uso de "para" e o emprego do pronome demonstrativo "este", quando na verdade caberia em seu lugar o vocábulo anafórico "esse". Além disso, a construção "como visto acima" é problemática, pois não estabelece textualmente uma relação semântica clara com as ideias apresentadas anteriormente, além de se caracterizar como uma forma de pouco engajamento do texto.

Sugestão de Reescritura

A construção da identidade de uma nação se estabelece pelas diferentes heranças culturais e étnicas recebidas ao longo de sua formação. Dessa forma, é inegável a importância da presença de imigrantes para esse processo no Brasil, sejam eles europeus, africanos ou asiáticos; livres ou cativos. Ainda hoje, pode-se perceber um constante fluxo migratório para o país, por conta da estabilidade econômica e do crescimento vivenciados. Com isso, denota-se a necessidade de análise e compreensão desse fenômeno, uma vez que o Brasil vem assumindo posição de destaque no cenário internacional, sobretudo como defensor dos países em desenvolvimento.

Desenvolvimento 1

Entretanto, embora seja visto como um país multicultural e que aceita bem a entrada de pessoas, é inegável a presença da xenofobia e do protecionismo no Brasil. A intolerância é visível e não são raros os casos de discriminações ao estrangeiro. O que se deve à criação da ideia da necessidade do fluxo como unilateral, acreditando-se que só quem chega possui bons motivos para a sua permanência. Mas o não reconhecimento da bilateralidade dessa inserção, de como o país também tem a ganhar com a imigração, é uma forma simplista de negação da própria sintaxe da sociedade brasileira.

Comentário: Nesse parágrafo, inicialmente, há a utilização inadequada da conjunção "entretanto" que expressa, predominantemente, uma desconstrução de ideias anteriormente apresentadas. Sua aplicação antecipada ocasiona uma oposição do que foi exposto na tese, o que prejudica a credibilidade do texto. Outro problema é a coesão entre os períodos, que ficaram desconexos. Isso é agravado pelo uso da conjunção "mas" iniciando o quarto período, já que essa é intrafrasal.

Sugestão de Reescritura

Embora seja visto como um país multicultural e que aceita bem a entrada de pessoas, é inegável a presença da xenofobia e do protecionismo no Brasil. A intolerância é visível e não são raros os casos de discriminações ao estrangeiro. Isso se deve à criação da ideia da necessidade do fluxo como unilateral, acreditando-se que só quem chega possui bons motivos para a sua permanência. Entretanto, o não reconhecimento da bilateralidade dessa inserção, de como o país também tem a ganhar com a imigração, é uma forma simplista de negação da própria sintaxe da sociedade brasileira.

Desenvolvimento 2

Por outro lado, é inegável os benefícios políticos que podem ser trazidos pela boa relação do Brasil com os imigrantes. A possibilidade de apresentar uma nova forma de lidar com os imigrantes traz uma diferenciação em relação às políticas de contenção de outros países. O desafio, muito maior que a construção de barreiras físicas, é a adoção, pelo governo brasileiro, de uma postura independente e conciliadora com os imigrantes que buscam o país para uma melhoria de vida. Dessa forma, pode-se conquistar uma afirmação no cenário internacional. Comentário: Nesse parágrafo, há desvio de regência no uso de "é inegável", quando deveria ser usado "são inegáveis". Em relação à argumentação, ficou vaga a ideia da contenção de outros países, devendo ser melhor explicado como esses países impedem a entrada de estrangeiros. Além disso, há a repetição do termo "imigrantes", o que compromete a fluência textual.

Sugestão de Reescritura

Por outro lado, são inegáveis os benefícios políticos que podem ser trazidos pela boa relação do Brasil com os imigrantes. A possibilidade de apresentar uma nova forma de lidar com o estrangeiro traz uma diferenciação em relação às políticas de contenção de outros países, como a construção de muros, adotada por países como Estados Unidos, na fronteira com o México, e pela Espanha, na cidade de Celta. O desafio, muito maior que a construção de barreiras físicas, é a adoção, pelo governo brasileiro, de uma postura independente e conciliadora com as pessoas que buscam o país para uma melhoria de vida. Dessa forma, podendo conquistar uma afirmação no cenário internacional.

Conclusão

Conclui-se que é fundamental que haja uma postura receptiva e, principalmente, humanitária em relação aos imigrantes. O controle da entrada não deve ser algo feito por barreiras físicas ou violações aos direitos humanos, como ocorre em diversos países, mas por uma fiscalização regularizada. Essa deve existir de forma que vise não um leviano impedimento, mas uma correta inserção do imigrante, de forma que esse tenha os subsídios necessários, por meio de uma expansão e adequação de políticas públicas, para a promoção de crescimento pessoal e, consequentemente, nacional.

Comentário: Nesse parágrafo, em um primeiro momento, localiza-se a expressão "conclui-se que" que revela pouco engajamento textual e constitui um clichê recorrente em textos argumentativos. Com relação ao emprego da norma culta da língua, pode-se destacar o uso inapropriado da palavra "algo", que não apresenta um significado delimitado e o desvio de regência do verbo "visar" que, no sentido de almejar, é transitivo indireto.

Sugestão de Reescritura

Pensar que o estrangeiro em nada contribui para o Brasil é reducionista e até mesmo injusto. Por isso, é fundamental que haja uma postura receptiva e, principalmente, humanitária em relação aos imigrantes. O controle da entrada não deve ser feito por barreiras físicas ou violações aos direitos humanos, como ocorre em diversos países, mas por uma fiscalização regularizada. Essa deve existir de forma que vise não a um leviano impedimento,mas a uma correta inserção do imigrante,deformaqueessetenhaossubsídiosnecessários,por meio de uma expansão e adequação de políticas públicas, para a promoção de crescimento pessoal e, consequentemente, nacional.

VISÃO GLOBAL + BANCA ENEM

O tema, "O movimento imigratório para o Brasil no século XXI" delimita bem as ideias que deveriam ser tratadas como foco. Com isso, o redator deveria escolher de forma clara e objetiva qual seria a sua abordagem, se contra ou a favor da entrada de imigrantes no Brasil. Nesse aspecto, o texto cumpriu bem a sua função, tendo uma tese consistente, a de que a presença de imigrantes é fundamental para a construção da identidade do brasileiro, que, por isso, deve receber bem o estrangeiro.

Embora o Manual do ENEM mencione que o título não é obrigatório, trata-se de um elemento importante para a diferenciação do candidato. Nesse caso, o redator optou por não colocá-lo, perdendo a oportunidade de deixar seu texto mais criativo.

Em relação ao domínio da norma culta, há alguns desvios, que mesmo não muito graves, podem comprometer a qualidade do texto. Esses problemas foram o emprego da forma contraída pra, sendo o mais adequado o uso de "para", o emprego do pronome demonstrativo "este", quando na verdade caberia em seu lugar o vocábulo anafórico "esse", desvio de regência no uso de "é inegável", quando deveria ser usado "são inegáveis", o uso inapropriado da palavra "algo", que não apresenta um significado delimitado e o desvio de regência do verbo "visar" que, no sentido de almejar, é transitivo indireto.

Quanto à compreensão da proposta, o redator foi coerente na defesa da sua tese, respeitando os limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo. Em relação à aplicação de conceitos de diversas áreas de conhecimento, ele poderia ter sido mais eficiente, explorando melhor a diferenças entre a postura do Brasil e a de outros países.

No que concerne à argumentação, o texto possui bons argumentos, mas, no segundo parágrafo de desenvolvimento, ficou vaga a ideia da contenção de outros países, devendo ser mais bem explicado como esses países impedem a entrada de estrangeiros.

Em relação ao conhecimento dos mecanismos linguísticos, o redator comete desvios mais graves. A coesão entre os períodos não é bem feita. Há o uso da conjunção "mas", intrafrasal, iniciando período. Além disso, há empilhamento de ideias desconexas, o que deixa a redação confusa. Há ainda a repetição de vocábulos e o uso do conectivo "conclui-se" que revela pouco engajamento textual e constitui um clichê recorrente em textos argumentativos.

A proposta de intervenção foi eficiente, trazendo uma intervenção possível e que respeita os direitos humanos.

REDAÇÃO EXEMPLAR

Sem muros
A construção da identidade de uma nação se estabelece pelas diferentes heranças culturais e étnicas recebidas ao longo de sua formação. Dessa forma, é inegável a importância da presença de imigrantes para esse processo no Brasil, sejam eles europeus, africanos ou asiáticos; livres ou cativos. Ainda hoje, pode-se perceber um constante fluxo migratório para o país, por conta da estabilidade econômica e do crescimento vivenciados. Com isso, denota-se a necessidade de análise e compreensão desse fenômeno, uma vez que o Brasil vem assumindo posição de destaque no cenário internacional, sobretudo como defensor dos países em desenvolvimento.
Embora seja visto como um país multicultural e que aceita bem a entrada de pessoas, é inegável a presença da xenofobia e do protecionismo no Brasil. A intolerância é visível e não são raros os casos de discriminações ao estrangeiro. Isso se deve à criação da ideia da necessidade do fluxo como unilateral, acreditando-se que só quem chega possui bons motivos para a sua permanência.
Entretanto, o não reconhecimento da bilateralidade dessa inserção, de como o país também tem a ganhar com a imigração, é uma forma simplista de negação da própria sintaxe da sociedade brasileira.
Por outro lado, são inegáveis os benefícios políticos que podem ser trazidos pela boa relação do Brasil com os imigrantes. A possibilidade de apresentar uma nova forma de lidar com o estrangeiro traz uma diferenciação em relação às políticas de contenção de outros países, como a construção de muros, adotada por países como Estados Unidos, na fronteira com o México, e pela Espanha, na cidade de Celta. O desafio, muito maior que a construção de barreiras físicas, é a adoção, pelo governo brasileiro, de uma postura independente e conciliadora com as pessoas que buscam o país para uma melhoria de vida. Dessa forma, podendo conquistar uma afirmação no cenário internacional.
Pensar que o estrangeiro em nada contribui para o Brasil é reducionista e até mesmo injusto. Por isso, é fundamental que haja uma postura receptiva e, principalmente, humanitária em relação aos imigrantes. O controle da entrada não deve ser feito por barreiras físicas ou violações aos direitos humanos, como ocorre em diversos países, mas por uma fiscalização regularizada. Essa deve existir de forma que vise não a um leviano impedimento,mas a uma correta inserção do imigrante,de forma que esse tenha os subsídios necessários,por meio de uma expansão e adequação de políticas públicas, para a promoção de crescimento pessoal e, consequentemente, nacional.

Três dicas de uso do hífen para vestibular

Um dos assuntos mais difíceis quando falamos a respeito de escrita é o uso do hífen. Isso proque, se já era complicado decorar as regras, agora, com o novo acordo ortográfico, ficou mais difícil porque fica a dúvida. Quem sabia um pouco, agora entrou para o time dos que não sabem o que é certo. Quero então, falar algumas dicas de uso do hífen na língua portuguesa. Assim, na construção do texto dissertativo no vestibular você terá um problema a menos para se preocupar.

Algumas regras de uso do hífen

  1. Nos compostos com os elementos além, aquém, recém e sem: além-mar, além-túmulo, aquém-mar, recém-formado, recém-nascido, sem-vergonha, sem-teto.
  2. Nos vocábulos onomatopaicos formados por elementos repetidos: blá-blá-blá, lenga-lenga, tique--taque, trouxe-mouxe.
  3. Para ligar duas ou mais palavras que ocasionalmente se combinam, formando não propriamente vocábulos, mas encadeamentos vocabulares e em combinações históricas ou de topónimos ocasionais: a divisa Liberdade-Igualdade-Fraternidade, a ponte Rio-Niterói, o percurso Lisboa-Coimbra-Porto, a ligação Angola-Moçambique, voo direto Fortaleza-São Paulo, etc.
  4. Não se emprega hífen em locuções substantivas, adjetivas, pronominais, adverbiais, prepositivas ou conjuntivas: cartão de crédito, fim de semana, cor de vinho, cada um, à vontade, a fim de, logo que, etc. Em algumas locuções, cuja grafia está consagrada pelo uso, mantém-se o hífen: água-de-colônia, arco-da-velha, cor-de-rosa, mais-que-perfeito, pé-de-meia, ao deus-dará, à queima-roupa.
Caso você queira, falo com detalhes sobre o uso do hífen no meu curso de Português online.
http://maiseducativo.com.br/curso-portugues-pra-passar/

Variação linguística - Lista de exercícios

Noutro dia publiquei aqui uma série de exercícios de Romantismo já com gabarito. Naquela ocasião eu afirmei que uma das contribuições deste período literário paraa  anossa cultura foi a incorporação de elementos de brasilidade na Literatura. A cor local estava na escolha do vocabulário usado pelas personagens e isso foi inovador paraa época já que ainda copiávamos o modelo europeu. O fato é que ao longo do tempo cada vez mais incorporamos a língua falada à escrita. Seja pelo uso de termos regionais, seja pela incorporação de elementos com alterações fonéticas, é comum cometermos erros, ou melhor equívocos na escrita por culpa da fala. 
Escrevi em meu outro site uma série de exercícios de variação linguística perfeita para usar nas provas do Ensino Médio e também para estudar para provas como o Enem.


Um bom exemplo do uso dessa linguagem podemos ver também nas tirinhas do Chico Bento, personagem criado por Maurício de Sousa. Veja uma das tirinhas que uso como exemplos em minhas aulas de Português para Ensino Médio.

Mapa mental para estudar dissertação

Um dos recusos mais eficazes em minhas aulas de produção de texto é mostrar para os alunos a estrutura da dissertação sem recorrer às fórmulas prontas que os cursinhos sempre dão. É claro que é válido usar modelos consagrados que trazem algum segurança ao candidato, mas uma redação nota 1000 no Enem só será conseguida se o candidato for além das fórmulas prontas. indico paar alunose  professores o mapa que posto logo abaixo. Com ele é possível conhecer as principais características do texto dissertativo e, a partir disso, estudar a introdução o desenvolvimento e a conclusão. Claro que outros conhecimentos abordados no meu site de redação para o Enem são necessários, mas deixo aqui duas dicas:

  • Pratique sempre e sem cessar. Somente quem escreve bastante, pratica muito é que estará preparado para qaulquer tema no dia da prova.
  • Sem,pre refaça seus textos após recebêlos do corretor. Uma estratégia que sempre deu certo para mim é reescrever o texto depois de recebido e submetê-lo novamente à correção paar que, ao final, eu tenha uma coletânea de textos bem escritos que eu possa ler antes das provas.

Mapa para estudar dissertação para vestibulares


Clique na imagem para ver melhor.

Charge para Redação Nota 1000 no Enem

Um dos recursos mais usados atualmente nas propostas de redação de cursinhos e também nas coletâneas de redação de vestibulares e concursos são as imagens, os textos não verbais como apoio para desenvolvimento de uma proposta bem escrita. Geralmente esta imagem vem associada a vários textos verbais de gêneros diversos como notícias, crônicas, reportagens. O aluno precisa então ler cada um deles, identificar o assunto e delimitação da imagem e desenvolver uma redação bem escrita e coerente com as instruções dadas na prova. Muitos ainda seguem as dicas para escrever uma redação nota 1000 que dou no artigo de meu outro site, mas o fato é que além de estudar para alguns vestibulares que ainda acontecerão, um número imenso de estudantes está ansioso pelo resultado do Enem que é divulgado sempre no início de janeiro.
Como o assunto aqui é outro, veja um exemplo de charge que pode ser usada no tema de redação do Enem 2016.

O narcisismo, a adoração à própria imagem em detrimento da apreciação do que está à volta.

5 exercícios de Literatura - Questões de Romantismo

Estes são alguns exercícios de Literatura voltados para o conteúdo do Ensino Médio. Neste caso, escolhi publicar alguns exercícios de Romantismo por considerar junto com o Modernismo um período de extrema importância no estudo da Literatura e preparo dos alunos para o Enem 2016. Todos aqueles que fizeram a prova e que agora estão consultando o resultado individual sabem bem que  o Romantismo é importante pela mudança cultural que introduziu na Literatura brasileira. Veja ainda outros exercícios nos sites parceiros na linkbar no topo do site.

Exercícios de Romantismo para Ensino Médio



1. Nossos primeiros escritores nacionalistas – Gonçalves Dias e José de Alencar entre eles – voltaram seus olhos sobre nossas raízes históricas-culturais, buscando nelas aspectos heroicos, dignos de alta expressão literária. É o que se pode verificar quando se leem, dos dois autores citados, respectivamente, as obras: 

a) Senhora e Lira dos Vinte Anos;
b) Quincas Borba e Os Escravos;
c) Ressurreição e O Navio Negreiro;
d) O Mulato e Canção do Exílio;
e) I - Juca Pirama e O Guarani

2. UFSE No período romântico brasileiro, os aspectos estéticos e os históricos ligaram-se de modo especialmente estreito e original: entre nós, o Romantismo deu expressão à consolidação da Independência, à afirmação de uma nova Nação e à busca das raízes históricas e míticas de nossa cultura – características que se encontram amplamente: 

a) na poesia de Gonçalves de Magalhães influenciada pela de Gonçalves Dias;
b) nos romances urbanos da primeira fase de Machado de Assis;
c) nos romances de costumes de Joaquim Manuel de Macedo;
d) na lírica confidencial de Álvares de Azevedo e de Casimiro de Abreu;
e) na ficção regionalista e indianista de José de Alencar. 

3. U.F. Uberlândia-MG Existem diferenças básicas entre a paisagem retratada pelos árcades e a paisagem retratada pelos românticos. Escolha a alternativa correta que define essas duas paisagens: 

a) A paisagem romântica é amena e monótona e a paisagem árcade é sempre graciosa e fulgurante.
b) A paisagem árcade é bucólica e a paisagem romântica é ainda mais bucólica, devido aos exageros do eu-lírico.
c) A paisagem romântica reflete os sentimentos do eu-lírico, enquanto a paisagem árcade é harmoniosa, alheia ao eu-lírico.
d) A paisagem árcade é mais visual enquanto a paisagem romântica só é perceptível através da leitura. 

4. UFF-RJ Assinale o fragmento que não corresponde ao indianismo romântico: 

a) “As leis da cavalaria no tempo em que floresceu em Europa não excediam por certo em pundonor e brios à bizarria dos selvagens brasileiros.” (José de Alencar).
b) “Não há hoje a menor razão porque desconheçamos a importância da parte indígena na população do Brasil; e menos ainda para que apaixonados declamemos contra selvagens que por direito natural defendiam a sua liberdade, independência e as terras que ocupavam.” (Gonçalves de Magalhães).
c) “Imaginei um poema... como nunca ouviste falar de outro: guerreiros diabólicos, mulheres feiticeiras, sapos e jacarés sem conta: enfim, um gênesis americano, uma Ilídia Brasileira, uma criação recriada.” (Gonçalves Dias).
d) “É certo que a civilização brasileira não está ligada ao elemento indiano nem dele recebeu influxo algum; e isto basta para não ir buscar entre as tribos vencidas os títulos da nossa personalidade literária.” (Machado de Assis).
e) “O maravilhoso, tão necessário à poesia, encontrar-se-á nos antigos costumes desses povos [indígenas], como na força incompreensível de uma natureza constantemente mutável em seus fenômenos.” (Ferdinand Denis). 

5. UFRS Leia o texto abaixo.
............... é um tema dominante na poesia ............... de cunho romântico no Brasil; nela, a mulher é frequentemente ............... sob o olhar apaixonado do poeta, que usa ............... como termo de comparação capaz de expressar a intensidade dos seus sentimentos. 

Assinale a alternativa que preenche adequadamente as lacunas desse texto. 

a) O amor – nacionalista – homenageada – a religião
b) A pátria – sentimental – martirizada – o mito
c) O amor – intimista – idealizada – a natureza
d) A infância – histórica – divinizada – a Idade Média
e) A morte – nacionalista – humilhada – a música

Gabarito dos exercícios de Romantismo para Ensino Médio

1. e , 2. c , 3. c , 4. d , 5. c